Covid-19: Butantan e Fiocruz pedem liberação emergencial de suas vacinas à Anvisa

8 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Situação das vacinas no Brasil em 08 de janeiro

A Anvisa recebeu esta manhã o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental da vacina Coronavac. O pedido foi enviado pelo Instituto Butantan, que no Brasil conduz os estudos da vacina desenvolvida pela empresa Sinovac.

Esta tarde a Agência anunciou também que recebeu, também hoje, o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental da vacina de Oxford (ChAdOx1). O pedido foi enviado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que no Brasil conduz os estudos da vacina desenvolvida pela empresa AstraZeneca.

O pedido da Fiocruz é para o uso de 2 milhões de doses de vacinas que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia. O laboratório é um dos fabricantes da vacina da AstraZeneca.

A Anvisa realizará, a partir de hoje, a avaliação das informações enviadas pelos laboratórios. A análise será feita por uma equipe multidisciplinar, envolvendo especialistas das áreas de registro, monitoramento e inspeção.

Se não faltarem informações e se a eficácia e segurança dos imunizantes ficar provada, a Agência espera liberar as vacinas num prazo médio de 10 dias.

Notícias RelacionadasEditar

FontesEditar

Compartilhe
essa notícia: