Presidente da Ucrânia reitera desejo de ser parte da OTAN e tem encontro com chanceler alemão

15 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

“A intenção da Ucrânia de se tornar membro da OTAN está consagrada na Constituição, permanece inalterada, mas a decisão de aderir à Aliança não depende apenas do nosso país”, enfatizou ontem o presidente Volodymyr Zelenskyy durante a reunião com representantes da mídia após as negociações com o chanceler alemão Olaf Scholz em Kiev.

“Não há nenhum sinal nosso de que a adesão à OTAN não seja nosso objetivo, mas "infelizmente, nem tudo depende da Ucrânia. Você está bem ciente da aspiração da Ucrânia pela União Europeia, pelo fortalecimento de suas fronteiras, pela Aliança”, disse ele.

Segundo o presidente, a adesão da Ucrânia à OTAN contribuiria para garantir a segurança e a integridade territorial do país. E se a solução desta questão dependesse apenas da Ucrânia, a questão se resolveria em muito pouco tempo. Zelenskyy reiteriou que a política de "portas abertas" da OTAN, no entanto, é um caminho sem prazos específicos.

“Acho que temos que seguir o caminho que escolhemos. Mesmo assim, o mais importante nesse caminho é que nosso exército seja poderoso. E veremos aonde esse caminho nos levará e quando”, disse Zelenskyy.

Encontro com Scholz

Zelenskyy e Scholz discutiram a cooperação econômica e os desafios na esfera energética e o líder ucraniano observou que eles discutiram em detalhes os riscos de segurança associados ao Nord Stream 2.

“Aqui temos algumas diferenças de avaliação. Enfatizei que nossa posição permanece a mesma - estamos considerando o Nord Stream 2 apenas da perspectiva de ameaças de energia e segurança para nós e para a região. Entendemos claramente que esta é uma arma geopolítica. É por isso que a Ucrânia precisa de garantias de segurança energética”, enfatizou Zelenskyy.

O Presidente propôs lançar um diálogo estratégico concreto no domínio da energia para elaborar garantias energéticas e um apoio eficaz à Ucrânia. "É importante que a Alemanha se torne uma garantia do trânsito contínuo de gás pela Ucrânia", disse ele.

Segundo o presidente, Scholz confirmou a intenção da Alemanha de preencher a iniciativa de transformação “verde”, descarbonização e desenvolvimento de fontes de energia renováveis ​​na Ucrânia com especificidades e apoio financeiro. “E o estado ucraniano está disposto a oferecer grandes perspectivas de cooperação mutuamente benéfica no campo da energia ‘verde’”, disse Zelenskyy.

O Chefe de Estado salientou que a Alemanha é um dos parceiros comerciais prioritários da Ucrânia na Europa. “Concordamos que, na perspectiva estratégica, um dos elementos-chave da estabilidade e estabilidade da Ucrânia na região deveriam ser os investimentos alemães na Ucrânia. O interesse em aumentá-los é mútuo”, disse.

O presidente anunciou que proporia a organização do quinto Fórum Econômico ucraniano-alemão em 2022. Segundo ele, Ucrânia e Alemanha têm muitas áreas promissoras para aprofundar a cooperação, por isso é importante organizar consultas intergovernamentais que abrirão uma nova etapa nas relações entre os dois países.

Por sua parte, o chanceler federal observou que a Alemanha vem apoiando a Ucrânia e sua economia há muitos anos e continuará a prestar assistência, em particular incentivando os investidores alemães. Anunciou um pagamento imediato de 150 milhões de euros do atual empréstimo financeiro desvinculado e um novo empréstimo financeiro desvinculado.

Referências

Notícias Relacionadas

Fontes