Ministra da Educação de Cabo Verde deixa o governo

5 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Governo de Cabo Verde sofre uma mexida nas pastas da Educação, Família e Inclusão Social, com o pedido de demissão, "por razões pessoais", de Martiza Rosabal, que ocupa o cargo desde a posse do Governo dirigido por Ulisses Correia e Silva, a 22 de abril de 2016.

A notícia e as motivações de Rasabal foram avançadas pelo primeiro-ministro na sua página do Facebook, que reconheceu o trabalho da ministra.

“Foi uma honra tê-la no Governo. Reconheço a dedicação que a Maritza colocou ao serviço do país e a determinação na realização de importantes reformas no sistema educativo e na protecção social”, escreveu Correia e Silva, quem anunciou também que Amadeu Cruz, actual secretário de Estado-Adjunto da Educação, assumirá a pasta da Educação.

O actual ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares e ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, acumulará o Ministério da Família e Inclusão.

Ainda de acordo com o primeiro-ministro, as propostas foram enviadas ao Presidente da República para aceitação e promulgação.

A posse de Cruz e Freire nos novos cargos deve acontecer no início da semana.

Formado em Economia e doutorando em Sustentabilidade Social e Desenvolvimento, Amadeu Cruz foi presidente da Câmara Municipal do Porto, presidente do Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais, entre outros cargos.

Tudo indica que não será nomeado um secretário de Estado-Adjunto da Educação.

O mandato do actual Governo termina em abril de 2021, devendo as eleições legislativas acontecer entre fevereiro e março.

Natural de Cuba e formada em História, Maritza Rosabal vive em Cabo Verde desde os inícios da década de 1981 e desenvolveu uma longa carreira como técnica e dirigente no Ministério da Educação, docente universitária e consultora.

Fontes