Covid-19: acesso a oxigênio medicinal se torna um desafio, alerta OMS

28 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Segundo a OMS, estima-se que mais de 500 mil pacientes com covid-19 necessitem de tratamento com oxigênio todos os dias, fazendo com que desde o início da pandemia o acesso a oxigênio seja um desafio crescente em países de baixa e média renda, com 25 países relatando picos de demanda, a maioria na África.

De acordo com a Organização, a covid-19 colocou uma enorme pressão sobre os sistemas de saúde e atualmente novas avaliações mostram que são necessários 90 milhões de dólares de financiamento imediato para atender às necessidades urgentes em cerca de 20 países, incluindo o Malaui, a Nigéria e o Afeganistão

"O oxigênio é um medicamento essencial e, apesar de ser vital para o tratamento eficaz de pacientes com covid-19 hospitalizados, o acesso em alguns países é limitado devido ao custo, infraestrutura e barreiras logísticas. As unidades de saúde muitas vezes não têm acesso ao oxigênio de que precisam, resultando na perda desnecessária de vidas", escreveu a OMS em seu website.

Força-tarefa

Na tentativa de ajudar a resolver a situação, a OMS lançou dias atrás a Força-Tarefa de Emergência de Oxigênio Covid-19 (Covid-19 Oxygen Emergency Taskforce), que, através da Unitaid e da Wellcome, fará uma contribuição imediata de cerca de 20 milhões de dólares aos 20 países mais atingidos.

"As necessidades urgentes e de curto prazo de outros países serão mensuradas e custeadas nas próximas semanas", anunciou a OMS, alertando que até o final de 2021 serão necessários 1,6 bilhões de dólares para prover oxigênio medicinal nos países mais pobres do planeta.

Mike Ryan, Diretor Executivo do Programa de Emergências de Saúde da OMS, disse: “O oxigênio salva vidas e é imperativo avançar mais rapidamente".

Notícias Relacionadas

Fonte