Covid-19: Brasil terá comitê para gerenciar pandemia, decidem os Três Poderes

24 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os chefes do Executivo, do Legislativo, do Judiciário, do Ministério da Saúde anunciaram no final desta manhã, após uma reunião, a criação de um comitê para estabelecer os rumos do combate à pandemia de covid-19 no Brasil. Outros ministros e sete governadores aliados do presidente Jair Bolsonaro também participaram do encontro.

A nova estratégia, que deverá ser liderada por Bolsonaro, envolverá a ação coordenada, a união de esforços e o discurso único de combate à pandemia.

“Vamos desarmar os espíritos e tratar como um problema de todos nós, que nos compete enquanto representantes da população, para falar uma língua só, com acompanhamento diário e responsabilidade da informação, para que toda nossa população tenha assistência e para que possamos ter rumo. Seremos coordenados sob a supervisão do presidente da República e teremos um único discurso e uma única orientação nacional conduzido pelo ministério”, disse o presidente da Câmara de Deputados, Arthur Lira.

"Essa reunião é a expressão pura do que a sociedade espera dos homens públicos. Significa um pacto liderado por quem a sociedade espera que lidere, que é o presidente Jair Bolsonaro", expressou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Bolsonaro à frente do grupo de trabalho

Bolsonaro, que causou diversas polêmicas durante a pandemia, como provocar aglomerações sem usar máscara, dizer que não tomaria vacina, chamar a vacina CoronaVac de VaChina (por ser desenvolvida na China), defender o uso de medicamentos sem eficácia contra a doença, como a cloroquina e a ivermectina, e ser contra os decretos de lockdowns parciais nos estados, tanto que chegou a abrir ações no STF contra os governadores da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul, ações cujo prosseguimento foi negado, foi assim alçado, pelo Congresso, à liderança da nova estratégia de combate à covid-19 no país.

A decisão dos Três Poderes vem um dia após o presidente enaltecer em cadeia nacional o trabalho do Governo Federal no gerenciamento da crise.

A Folha de São Paulo chamou as falas de Bolsonaro durante o pronunciamento ontem de "mentiras e distorções".

Notícias Relacionadas

Fontes