Covid-19: BioNTech diz que pode fazer uma vacina contra nova cepa do vírus em seis semanas

22 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Um representante da BioNTech disse nesta terça-feira, 22 de dezembro, que era "altamente provável" que a vacina da empresa contra o coronavírus Sars-Cov-2 funcionasse contra a cepa mutante detectada na Grã-Bretanha, mas também poderia adaptar a vacina se necessário em seis semanas, reportou a AFP.

"Cientificamente, é altamente provável que a resposta imunológica à vacina [chamada BNT162b2] também possa lidar com a nova variante do vírus", disse Ugur Sahin. Ele também disse que se necessário, "em princípio, o bom da tecnologia usada [a do mRNA] é que podemos começar a desenvolver uma vacina que imite completamente essa nova mutação e podemos ser capazes de oferecer uma nova vacina em seis semanas".

Sahin falou que a variante detectada na Grã-Bretanha tem nove mutações, em vez de apenas uma, como costuma ser comum, porém ele expressou confiança de que a vacina desenvolvida com a Pfizer seja eficiente porque "contém mais de 1.000 aminoácidos e apenas nove deles mudaram, o que significa que 99 por cento da proteína ainda é a mesma".

Ele disse também que testes estão sendo executados com nova variante e que os resultados são esperados para daqui a duas semanas. "Temos confiança científica de que a vacina pode proteger, mas só saberemos se o experimento for feito. (...) Publicaremos os dados o mais rápido possível", acrescentou.

Notícias Relacionadas

Fonte