Assassino de John Lennon tem liberdade negada novamente

24 de setembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O assassino de John Lennon, Mark Chapman, teve a liberdade negada novamente no mês passado. Esta foi 11ª vez que sua defesa pediu a liberdade condicional para ele. Em sua defesa, Mark disse que "sabia que era errado e o fiz pela glória. Uma palavra apenas: glória. É isso mesmo. Ele era famoso, extremamente famoso".

Ele também pediu desculpas novamente à viúva do músico, Yoko Ono, e admitiu que merecia a pena de morte.

Mark Chapman assassinou Lennon há quase 40 anos, no dia 08 de dezembro de 1980. Ele atirou no músico quatro vezes, perto do apartamento onde Lennon morava, em Manhattan, Nova York.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: