Artistas russos não são mais bem-vindos em muitos locais

2 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A invasão da Ucrânia por forças russas provocou respostas de instituições artísticas e culturais em todo o mundo, que estão cancelando apresentações de artistas russos, muitos dos quais são apoiadores do presidente russo Vladimir Putin.

O Festival de Cinema de Cannes, um evento apenas para convidados que exibe filmes de alta qualidade de mais de 80 países, anunciou que nenhuma delegação russa será bem-vinda este ano, após o conflito contínuo entre a Ucrânia e a Rússia. O festival está previsto para começar em maio.

“A menos que a guerra de assalto termine em condições que satisfaçam o povo ucraniano, foi decidido que não receberemos delegações oficiais russas nem aceitaremos a presença de qualquer pessoa ligada ao governo russo”, disseram os organizadores do festival em comunicado divulgado na terça-feira.

O festival pode permitir cineastas russos individuais, mas não declarou se seus filmes poderão competir.

A União Europeia de Radiodifusão, produtora do Eurovision, declarou que a Rússia não poderá mais participar de atos para o popular Festival Eurovisão da Canção. A decisão foi tomada após recentes recomendações do órgão dirigente do concurso, o Grupo de Referência, que ressaltou os valores do sindicato de radiodifusão.

Emissoras da Islândia, Noruega, Finlândia e Holanda solicitaram que a Rússia fosse impedida de participar da competição.

Valery Gergiev, maestro-chefe da Orquestra Filarmônica de Munique e aliado de Putin, foi demitido depois de se recusar a condenar as ações do presidente russo na Ucrânia.

O maestro de renome internacional teve muitos de seus shows cancelados e foi dispensado por sua empresa de gestão.

O Festival Internacional de Edimburgo, onde Gergiev atuou como presidente honorário, solicitou sua renúncia, dizendo: “Edimburgo é geminada com a cidade de Kiev, e esta ação está sendo tomada em simpatia e apoio aos seus cidadãos.”

Alguns artistas se opõem à tendência global de sanções culturais contra a Rússia.

A artista francesa Ségolène Haehnsen Kan mantém uma exposição individual de suas pinturas em Moscou.

“A arte não deve ser impedida pela guerra”, disse ela à Artnet News. “É importante que os artistas ucranianos saibam que os artistas da Rússia os apoiam.”

Fontes