Ucrânia: médicos podem declarar greve se orçamento para 2021 não mudar

16 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os médicos ucranianos aderiram ao pedido de Olga Golubovskaya, uma médica infectologista, membro da sede de operações da COVID-19, de não adotar o projeto de lei orçamentário para 2021. Eles ameaçam fazer uma greve nacional se não forem ouvidos.

De acordo com a RegioNews, Golubovskaya, poucas horas antes da votação do orçamento, pediu aos deputados que mudem de ideia e aumentem as despesas médicas, caso contrário, haverá problemas.

Olga Golubovskaya acredita que o projeto de orçamento do Estado deve ser revisto, afinal, os médicos terão baixos salários. Além disso, o documento contém menos dinheiro para o combate às doenças infecciosas do que em 2020.

Ela também criticou o corte no orçamento de estágio. Além de chamar o financiamento de medicamentos na casa de 4% do PIB "uma violação da lei sobre garantias de assistência médica à população".

"Revisem o orçamento, senhores do júri, por favor. Sejam humanos", resumiu Golubovskaya.

Outros médicos também aderiram ao pedido de Golubovskaya. Os médicos exigem das autoridades ucranianas que cumpram a sua promessa e aumentem os seus salários.

"Meu salário oficial é de 5.385 hryvnia. Não podemos viver com um salário como o que é agora. Realmente desejo que vocês, como deputados, cuidem do futuro de nosso país, de como será nossa nação", disse o médico do hospital infantil anti-tuberculose Vladimir Kudimov.

Fontes