Trump anuncia que não irá à posse de seu sucessor, Joe Biden

8 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Donald Trump anunciou hoje de manhã eu seu Twitter, após sua conta ser liberada depois de um bloqueio de 24 horas, que não irá à posse de seu sucessor, Joe Biden. Ele escreveu: "a todos os que me perguntaram, não irei à posse no dia 20 de janeiro".

Ele, que sempre disse que nunca reconheceria a vitória de Biden, tem agora um motivo a mais para não ir: está sendo duramente criticado no mundo todo por ter incitado, durante semanas, ao falar em fraudes inexistentes, os manifestantes a marcharem e protestarem em frente ao Congresso no dia 06 passado, o que acabou no incidente da invasão do Capitólio, que acabou levando à suspensão temporária da certificação, pelos congressistas, da votação do Colégio Eleitoral, última etapa, mesmo que apenas formal, para a declaração de Biden como presidente eleito.

Biden, que mantinha um tom moderado ao citar Trump, escreveu no Twitter ontem pouco antes da meia-noite: "nos últimos quatro anos, o presidente Trump desencadeou um ataque total às instituições de nossa democracia. Ontem foi apenas o ponto culminante daquele ataque implacável". A fala, certamente, deixou ainda mais claro que Trump seria "persona non grata" no evento de posse.

O incidente levou à morte cinco pessoas: uma baleada por um policial no Capitólio, que morreu horas depois no hospital; três nas proximidades, em circunstâncias diversas; e um policial, que havia sido hospitalizado, ontem.

Impeachment

Congressistas democratas, do partido de Biden, bem como alguns republicanos, do partido de Trump, solicitaram ainda no dia 06 que o vice-presidente Mike Pence invocasse a 25ª Emenda, que prevê a destituição de um presidente que já não tem condições de presidir o país. Pence recebeu um pedido oficial ontem de Nancy Pelosi, presidente da Câmara, e do líder democrata do Senado, Chuck Schumer, mas não respondeu.

Devido à recusa, espera-se que Pelosi anuncie hoje a abertura de um processo de impeachment no Congresso, já que ontem ela falou durante um discurso: "eu conclamo o vice-presidente a invocar imediatamente a 25ª Emenda. Se o vice-presidente não atuar, o Congresso deve ser preparar para o impeachment".

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia: