Terça Livre acusa Wikipédia de parcialidade

10 de abril de 2021

Allan dos Santos, um dos fundadores do Terça Livre, na CPMI das fakes news
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Neste sábado (10), o site de notícias Terça Livre afirmou que a enciclopédia virtual Wikipédia "vem mentindo […] chegando ao ponto de dizer que nós incitamos a invasão ao Capitólio", a sede do Congresso dos Estados Unidos, durante a eleição presidencial de 2020. O site afirma que apenas anunciou "os fatos ocorridos durante toda a corrida eleitoral".

Um dos colaboradores, Max Cardoso, defende durante a matéria que o artigo seja derrubado, “para que não fiquem na plataforma aquelas mentiras”. O verbete foi proposto para eliminação em 29 de março, no entanto a comunidade da Wikipédia decidiu de forma unânime por mantê-lo.

Os editores afirmaram que o Terça Livre atende aos critérios de notoriedade da enciclopédia e o artigo possui cobertura significativa de fontes confiáveis. Entre as referências está a Pública, um site de jornalismo investigativo que classifica o Terça Livre como "bolsonarista" e apresenta declarações de Italo Lorenzon, um dos fundadores:

“A população conservadora no mundo está de olho no que está acontecendo ali [invasão do Capitólio durante disputa eleitoral entre Trump e Biden] e de fato isso vai impulsionar muito”.

O Terça Livre é investigado pelo Supremo Tribunal Federal em inquérito que apura a organização de atos contra instituições democráticas em meados de 2019. O canal do YouTube e o Twitter da empresa também foram retirados do ar momentaneamente.

O Terça Livre se declara conservador. “Prezamos pelo direito romano, pela filosofia grega e religião judaico-cristã”, afirma. Nas redes sociais, seus criadores realizam críticas à China e ao lockdown durante a pandemia de Covid-19.

Fontes

 
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador.