10 de novembro de 2023

link=mailto:?subject=Reino%20Unido:%20"possibilidade%20realista"%20de%20que%20míssil%20russo%20atingiu%20navio%20cargueiro%20da%20Libéria%20–%20Wikinotícias&body=Reino%20Unido:%20"possibilidade%20realista"%20de%20que%20míssil%20russo%20atingiu%20navio%20cargueiro%20da%20Libéria:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Reino_Unido:_%22possibilidade_realista%22_de_que_m%C3%ADssil_russo_atingiu_navio_cargueiro_da_Lib%C3%A9ria%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Um piloto portuário morreu e três tripulantes e um trabalhador portuário ficaram feridos na quarta-feira passada quando um míssil anti-radar russo, provavelmente um AS-17 Krypton, tingiu um navio de carga civil de bandeira liberiana no porto de Pivdennyi, em Odesa, Ucrânia, disseram representantes do Ministério da Defesa do Reino Unido hoje.

O navio carregava minério de ferro com destino à China, aliada da Rússia, segundo o Ministério da Infraestrutura da Ucrânia.

O míssil, afirmou o Ministério no seu relatório diário sobre a Ucrânia, “provavelmente estava sendo usado” para atingir radares militares ucranianos na área. O Ministério disse que sem uma assinatura de radar militar ao vivo na área, existe uma “possibilidade realista” de que o míssil tenha sido detectado pelo radar do navio civil. Se foi isso que aconteceu, seria uma demonstração de “más tácticas de emprego de armas por parte do piloto russo”.

Noutros desenvolvimentos, a invasão da Ucrânia pela Rússia está a sobrecarregar os recursos militares internos russos e a sobrecarregar "a sua capacidade de manter as defesas de base em toda a sua vasta área", afirmou quinta-feira o Ministério da Defesa britânico no seu relatório diário de inteligência sobre o conflito na Ucrânia.

O ministério disse que a análise de relatórios recentes sobre a perda de vários sistemas russos de mísseis superfície-ar (SAM) SA-21 de longo alcance indica que, para a Rússia continuar o seu controle na Ucrânia, provavelmente precisará realocar SAMs rotineiramente usados ​​para proteger regiões distantes da Rússia.

SAMs de longo alcance, como o SA-21, podem atingir alvos a até 400 quilômetros de distância, segundo o relatório diário britânico. Os SA-21 da Rússia estão estrategicamente localizados em toda a Rússia, inclusive ao longo de suas fronteiras. Removê-los, disse o ministério britânico, “quase certamente enfraqueceria a postura de defesa aérea da Rússia nas suas periferias”. Se a Rússia transferir qualquer sistema SAM, disse o Ministério, a medida “demonstraria ainda mais” como o conflito na Ucrânia continua a sobrecarregar as forças armadas russas.

No leste da Ucrânia, a Rússia está a intensificar o seu ataque à cidade de Avdiika. A Rússia concentrou-se nas regiões de Donetsk e Luhansk desde o início da sua invasão, quando a sua investida em Kiev falhou. Avdiika, uma porta de entrada para a cidade de Donetsk, 20 quilómetros a leste, está sob ataque russo desde meados de outubro.

O chefe da administração militar de Avdiika disse que as forças russas estavam bombardeando a área, mas a sua infantaria foi contida pelo solo molhado após vários dias de chuva. No seu relatório de quinta-feira à noite, o Estado-Maior da Ucrânia disse que repeliu 11 ataques perto de Avdiika, 15 no sector vizinho de Maryinka e 22 em Bakhmut.

Guerra em Gaza

Falando sobre a guerra Israel-Gaza, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, disse no seu discurso diário que 89 cidadãos ucranianos foram resgatados de Gaza, até agora.

O presidente disse que falou sobre o conflito no Oriente Médio durante conversa com o presidente da Indonésia. “É muito importante que o maior número possível de civis sejam protegidos e que a guerra que está a acontecer no Médio Oriente não conduza a um colapso total da estabilidade internacional”, disse Zelenskyy no seu discurso. "Todos precisam de segurança e paz".

Zelenskyy também disse que ele e o presidente indonésio Joko Widodo discutiram a segurança alimentar global e os corredores de exportação marítima da Ucrânia. Zelenskyy disse que os corredores são um dos “maiores sucessos” da Ucrânia e proporcionam segurança tanto para a Ucrânia como para o mundo inteiro".

Fontes editar