Rússia afirma que Estados Unidos não tem autoridade moral para falar sobre direitos humanos, após repressão em Ferguson

Agência VOA

26 de novembro de 2014

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Rússia apontou aos distúrbios em Ferguson e protestos em todo Estados Unidos como prova de que seus detratores em Washington são hipócritas e sem estatura moral para instruir ao Moscou sobre os direitos humanos.

O Ministério de Relações Exteriores russo disse que EUA devem "centrar-se nos problemas internos a grande escala sobre respeitar os direitos humanos" em lugar de pregar aos demais.

"Tal enorme explosão de indignação pública e a reação desproporcionada dos corpos de segurança confirmam uma vez mais que isto não é um evento isolado, mas uma falha sistêmica na democracia estado-unidense, que não havia conseguido superar uma profunda divisão, discriminação e desigualdade racial", estabeleceu em um comunicado o ministério.

Autoridades dos Estados Unidos disseram na quarta-feira que a polícia havia prendido dezenas de pessoas em numerosas cidades que estavam protestando a decisão de não processar um policial branco por matar um adolescente negro desarmado em Ferguson.

As relações entre a Rússia e os EUA deterioraram-se no último ano, com Washington acusando Moscou de desestabilizar Ucrânia. Estados Unidos também havia condenado reiteradamente o presidente russo, Vladimir Putin de suprimir a dissidência política.

Fonte