Putin reivindica vitória em meio a alegações de manipulação de votos

20 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os resultados das eleições russas de domingo não foram uma surpresa para os oponentes do presidente Vladimir Putin.

O Kremlin impediu a maioria dos candidatos genuinamente independentes — em primeiro lugar, os apoiadores do líder da oposição preso Alexei Navalny — de concorrer à Duma de 450 lugares.

O partido Rússia Unida reivindicou a vitória poucas horas após o fechamento das urnas no domingo, após três dias de votação em meio a alegações de fraude eleitoral e mobilização de trabalhadores do setor público para apoiar os candidatos do Rússia Unida.

O funcionário do Rússia Unida, Andrei Turchak, disse que seu partido estava prestes a ganhar mais de 300 das 450 cadeiras na Duma, dizendo a repórteres em Moscou que o partido provavelmente surgirá com 315 cadeiras na câmara baixa do parlamento da Rússia.

Na segunda-feira, a comissão eleitoral da Rússia relatou resultados preliminares — após 90% dos votos terem sido contados. Metade dos assentos na Duma são alocados por votação em lista partidária e a outra metade é nomeada por maioria de votos nos distritos.

Os dados da pesquisa antes da eleição sugeriram que apenas 26% dos russos estavam prontos para votar no Rússia Unida.

Irregularidades

Ao longo dos três dias de votação em 11 fusos horários, os observadores das pesquisas e eleitores relataram milhares de violações. Vídeos foram postados em redes sociais mostrando supostamente adulteração de votos, monitores independentes expulsos das seções eleitorais e os poucos candidatos da oposição ser agredidos.

Fontes