ONU pede esforços mais coordenados para combater COVID-19

24 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que é muito lamentável que as primeiras 20 nações industrializadas não tenham se reunido em março, como ele sugeriu então, para estabelecer uma resposta coordenada contra o COVID-19 em todo o mundo.

Em entrevista à Associated Press, Guterres disse esperar que, quando a cúpula do G-20 for realizada no mês que vem, a comunidade internacional entenda que "eles precisam estar muito mais coordenados na luta contra o vírus".

Guterres disse que a ONU vai "defender fortemente" uma resposta coordenada à doença, além de buscar uma "garantia" de que qualquer vacina desenvolvida seja tratada como "um bem público global" e esteja "disponível e acessível para todos, em todos os lugares."

A COVID-19 matou mais de 1,1 milhão de pessoas em todo o mundo e adoeceu mais de 41 milhões. Enquanto isso, pesquisadores de todo o mundo estão correndo para desenvolver uma vacina segura e eficaz.

Enquanto isso, o número de países com mais de 1 milhão de casos confirmados de coronavírus aumentou para sete, com França e Espanha sendo os últimos países a atingir a marca.

Na quinta-feira, a França estendeu o toque de recolher para cerca de 65% de sua população, e o ministro das Relações Exteriores da Bélgica foi hospitalizado com COVID-19 e tratado em uma unidade de terapia intensiva.

De acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos continuam sendo o país com o maior número de infecções, mais de 8,4 milhões de casos no total, seguido pela Índia, com 7,7 milhões; Brasil, com 5,3 milhões; Rússia, com 1,4 milhão e Argentina, com um milhão.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: