ONU não está otimista com a perspectiva de uma trégua na Ucrânia

9 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários e Coordenador de Assistência de Emergência, Martin Griffiths, disse na sexta-feira que não está otimista sobre a possibilidade de um cessar-fogo e a suspensão das hostilidades na Ucrânia. Griffiths disse isso após suas conversas com as autoridades da Ucrânia e Moscou, que no final apenas enfatizaram, segundo o representante da ONU, a distância entre os dois lados.

Martin Griffiths fez uma avaliação sombria das perspectivas de paz em uma entrevista à Associated Press na capital ucraniana após suas conversas com o primeiro-ministro ucraniano Denys Shmygal e outros altos funcionários. Mais cedo, o vice-secretário-geral da ONU se reuniu em Moscou com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

“Acho que não será fácil, porque os dois lados, até onde eu sei, não confiam um no outro”, disse ele. “Não estou otimista.”

O secretário-geral da ONU, António Guterres, enviou Griffiths a Moscou e Kiev para explorar a possibilidade de estabelecer um cessar-fogo que poderia formar a base das negociações para acabar com a guerra.

Griffiths sugeriu que não seria fácil conseguir qualquer tipo de trégua, e isso não aconteceria agora.

“Obviamente, todos nós queremos que isso aconteça. Mas como você sabe, especialmente estando aqui [na Ucrânia], isso não acontecerá imediatamente”, disse ele.

Griffiths disse que está procurando maneiras de construir confiança em ambos os lados e se concentrar em objetivos menores, como estabelecer tréguas em partes do país e criar corredores humanitários que permitiriam aos civis evitar confrontos.

Um porta-voz da ONU disse que planeja visitar a Turquia na próxima semana, onde mais negociações de cessar-fogo ocorrerão. Ele também espera voltar a Moscou: segundo ele, a viagem anterior foi apenas a primeira rodada de negociações.

Fontes