Novak Djokovic é acusado de mentir no formulário de entrada na Austrália

11 de Janeiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Um novo revés pode estar por vir no caso envolvendo a entrada do tenista sérvio Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, na Austrália. Visto que agora o atleta é acusado de ter mentido no formulário de entrada na fronteira, algo que pode ser decisivo na sentença do Ministro Federal da Imigração.

Os jornais australianos The Daily Telegraph e Herald Sun informaram nesta terça-feira que oficiais da Força de Fronteira Australiana estão investigando se Djokovic mentiu em seu formulário de entrada na nação, apresentado em 1.º de janeiro. O tenista assinalou nele que não viajou e não planejava viajar nos 14 dias anteriores ao seu voo para a Austrália, porém é acusado de ter viajado para a Espanha uma semana antes.

Uma parte do formulário diz: “Observação: fornecer informações falsas ou enganosas é uma ofensa grave. Você também pode estar sujeito a uma penalidade civil por fornecer informações falsas ou enganosas.” Em sua página oficial, o Departamento de Assuntos Internos orienta que conceder informações falsas ou enganosas ao governo é “uma ofensa grave.” Todos os viajantes são indagados sobre deslocamentos anteriores e correm o risco de sofrer punição caso forneçam “informação enganosa”, Djokovic poderia ser preso, com pena de até 12 meses.

Novak Djokovic

O sérvio voou da Espanha para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, no último dia 4 e mais tarde embarcou em um voo para Melbourne no dia seguinte. Só que ele teria viajado da Sérvia para a Espanha nos 14 dias que precederam a viagem para a Austrália. Postagens nas mídias sociais mostram que Djokovic foi fotografado em Belgrado, na Sérvia, no dia 25 de dezembro, dias antes de ser visto em terras espanholas preparando-se para o Aberto da Austrália.

Na última segunda-feira, Djokovic falou pela primeira vez desde sua chegada em Melbourne, agradeceu o apoio dos fãs e afirmou que ainda tem a intenção de disputar o Aberto da Austrália. A declaração veio após uma vitória judicial no país. O tenista conseguiu anular a decisão do cancelamento do seu visto na Austrália, por parte do governo do país. O juiz Anthony Kelly, responsável pelo processo, ordenou a soltura imediata do tenista da detenção na imigração.

O ministro de Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais, Alex Hawke, ainda pode usar seus poderes especiais para cancelar o visto e deportar o tenista número 1 do mundo. A sentença deve sair nesta quarta-feira (12). Até essa ocasião, Djokovic continua com seu planejamento normal para o Aberto da Austrália. Nesta terça, ele fez mais uma atividade na Rod Laver Arena, com o seu técnico Goran Ivanisevic.

Associação de Tenistas Profissionais pronuncia-se sobre o assunto

Associação de Tenistas Profissionais (ATP), órgão que gerencia o tênis masculino, comemorou a decisão que permitiu a Djokovic permanecer em Melbourne e competir no torneio da próxima semana, porém afirmou que a confusão em torno da entrada do número 1 do mundo no país foi “prejudiciais em todas as frentes” e destacou a necessidade de compreensão, comunicação e aplicação de regras mais claras.

“A ATP respeita totalmente os sacrifícios que o povo da Austrália fez desde o início do COVID-19 e as rigorosas políticas de imigração que foram implementadas. Complicações nos últimos dias relacionadas à entrada de jogadores na Austrália, no entanto, destacaram a necessidade de compreensão, comunicação e aplicação mais claras das regras.
Ao viajar para Melbourne, fica claro que Novak Djokovic acreditava ter recebido uma isenção médica necessária para cumprir os regulamentos de entrada. A série de eventos que levaram à audiência de segunda-feira foi prejudicial em todas as frentes, inclusive para o bem-estar de Novak e a preparação para o Aberto da Austrália. Os pedidos de isenção médica dos jogadores são feitos independentemente da ATP, no entanto, estamos em contato constante com a Tennis Australia para buscar clareza ao longo desse processo. Congratulamo-nos com o resultado da audiência de segunda-feira e esperamos algumas semanas emocionantes de tênis pela frente.
De forma mais ampla, a ATP continua recomendando fortemente a vacinação para todos os jogadores do ATP Tour, que acreditamos ser essencial para o nosso esporte navegar na pandemia. Isso se baseia em evidências científicas que apoiam os benefícios para a saúde fornecidos e para cumprir os regulamentos globais de viagens, que prevemos que se tornarão mais rigorosos ao longo do tempo. Estamos encorajados que 97% dos 100 melhores jogadores sejam vacinados antes do Aberto da Austrália deste ano.”
Associação de Tenistas Profissionais (ATP) via comunicado

Fontes