Mulheres a serem recrutadas para a milícia armênia

1 de setembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

As mulheres também estarão envolvidas na milícia que planejam formar na Armênia, disse o vice-ministro da Defesa, Gabriel Balayan.

Segundo ele, não haverá discriminação na questão do envolvimento na milícia. Há vários anos, as mulheres também estudam em escolas militares.

“Na primeira fase, eles vão realizar missões não de combate. Se, é claro, as mulheres expressarem esse desejo”, disse Balayan.

Ele também disse que a criação da milícia não significa que pessoas armadas irão circular livremente pelas ruas.

Em 25 de agosto, o Ministério da Defesa da Armênia submeteu à discussão pública um projeto para criar uma milícia. Pode ser utilizado na defesa de fronteiras ou trechos perigosos da linha de contato com o inimigo, na luta contra grupos de sabotagem, etc.

Fontes