Mark Esper: China e Rússia têm muito menos aliados do que os EUA

23 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Na véspera da reunião dos ministros da Defesa da OTAN, que será realizada online nos dias 22 e 23 de outubro, o Secretário da Defesa dos EUA, Mark Esper, anunciou que Washington planeja desenvolver ativamente parcerias com aliados, inclusive para enfrentar a Rússia e a China.

“A rede de aliados e parceiros da América nos dá uma vantagem assimétrica que nossos adversários não podem superar”, disse o secretário de Defesa dos Estados Unidos. "Na verdade, China e Rússia juntas provavelmente têm menos de 10 aliados."

Ao mesmo tempo, ele enfatizou, as relações aliadas de Washington são baseadas na observância da ordem internacional, enquanto "a China e a Rússia estão modernizando rapidamente suas forças armadas e usando seu poder crescente para ignorar o direito internacional, violar a soberania de pequenos Estados e alterar o equilíbrio de poder em seu próprio benefício."

“Essa competição entre as grandes potências é global. Vemos que a Rússia e a China estão operando na América do Norte e do Sul, África, Oriente Médio, Ártico e Antártico”, acrescentou ele.

De acordo com a Estratégia de Defesa Nacional dos Estados Unidos, a Rússia e a China são vistas por Washington como a mais séria ameaça à segurança do país e de seus aliados na "era da competição de grandes potências". Além disso, "Estados desonestos" como Coreia do Norte e Irã e várias organizações extremistas representam uma ameaça à segurança dos EUA, disse Esper.

Além de fortalecer as relações com aliados, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos prioriza o aumento da prontidão militar do país e a alocação estratégica de recursos.

Mark Esper também falou sobre várias de suas reuniões e consultas com a Romênia, a Bulgária e os países bálticos. Após a assinatura, em agosto deste ano, de um acordo de cooperação em defesa entre os Estados Unidos e a Polônia, observou Esper, existe a possibilidade de enviar parte das tropas estadunidenses para a região do Leste Europeu de forma permanente, e não rotativa, como tem sido até agora.

Os EUA planejam aumentar o investimento no desenvolvimento de armas avançadas, como mísseis hipersônicos e inteligência artificial, que também estão sendo feitos pela Rússia e China, disse Esper. Ao mesmo tempo, Washington precisa melhorar as defesas antimísseis.

Fontes

  Марк Эспер: у Китая и России намного меньше союзников, чем у США — VOA, 21 de outubro de 2020.