Malawi lança vacina contra cólera para conter surto

24 de maio de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Malawi lançou uma campanha de vacinação para ajudar a parar um surto de cólera. As autoridades relatam mais de 350 casos e 17 mortes por cólera em oito distritos do sul do Malawi.

O Ministério da Saúde do Malawi declarou o surto de cólera no início de março, depois que o primeiro caso foi confirmado no distrito de Machinga, no sul do Malawi.

Até agora, a doença se espalhou para oito distritos, incluindo Nsanje, Chikwawa e Blantyre.

Em seu último relatório na segunda-feira, o ministério disse que o país registrou 367 casos de cólera no total, com 17 mortes e 19 internações hospitalares.

A Dra. Gertrude Chapotera representou a Organização Mundial da Saúde no lançamento da campanha de vacinação na segunda-feira em Blantyre.

Ela disse que a campanha está sendo realizada com o apoio de vários parceiros globais, incluindo a Gavi Vaccine Alliance e a Global Task for Cholera Control.

“Estamos apoiando o Ministério da Saúde com até 3,9 milhões de doses que serão administradas em duas rodadas”, disse ela. esta semana, 27 de maio”.

A cólera é uma infecção diarreica aguda causada pela ingestão de alimentos ou água contaminados com bactérias. A doença afeta crianças e adultos e, se não tratada, pode matar em poucas horas.

Dr. Gift Kawalazila é diretor de Saúde e Serviços Sociais em Blantyre. Ele diz que o distrito já viu quase 100 casos de cólera, com cinco mortes, mas apenas três internações hospitalares na segunda-feira.

“Isso significa que a cólera é uma doença que pode ser facilmente revertida e temos opções de tratamento conosco”, disse Kawalazila. instalações sempre que notarem os sinais e sintomas de cólera, que é diarreia profusa e vômitos em alguns casos”.

As autoridades de saúde dizem que muitas pessoas estão aparecendo para a vacinação, com alguns distritos com falta de doses.

Alinafe Longwe está entre os que receberam a vacina contra a cólera em Blantyre. Longwe diz que não recebeu a vacina COVID-19, citando temores de coagulação do sangue e outros problemas de saúde.

“Mas com este, não ouvi nenhum problema, então estou bem com isso e recebi e estou bem”, disse Longwe.

Enquanto isso, o Ministério da Saúde diz que intensificou a educação pública prevenindo infecções por cólera. Estes incluem o uso de água limpa para fins domésticos e a observação da higiene pessoal.

Fontes