Médicos angolanos voltam ao trabalho para impedir que mais gente morra

28 de abril de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Agência VOA

O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola suspendeu a greve iniciada a 21 de março, mas voltará à paralisação em 28 de Maio. A decisão foi tomada após o MPLA em Luanda ter decidido na segunda-feira, 25, preparar uma manifestação no sábado, 30, contra os grevistas, reporta a VOA, com informações de fontes do partido governante.

Entretanto, o presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola justificou a decisão com a situação nos hospitais. “O Sindicato dos Médicos decidiu protelar a greve se tivermos em conta os últimos acontecimentos nas instituições hospitalares do nosso país. Se sem a greve já morre muita gente, com a greve o índice de mortalidade aumentou em quase toda Angola”, explicou Adriano Manuel.

Ele acrescentou ainda que “ante a insensibilidade do Governo de Angola em não negociar com o sindicato, aliando o fato de contratar médicos menos experientes e com isso aumentar o índice de mortalidade nos nossos hospitais, o sindicato avaliou a situação e decidiu que não queremos prejudicar o nosso povo, por isso achamos que devíamos interromper a greve para que o nosso povo tivesse um tratamento digno.”

Adriano Manuel também admitiu que a suspensão da greve permitirá garantir as condições para a retomada das negociações com o Governo, com vista à solução dos problemas constantes da lista de reivindicações. “Lamentamos a atitude do Governo em permitir dentro de um plano elaborado a morte de centenas de angolanos e não tivemos outra alternativa, esperando que o Governo volte a mesa das negociações”, concluiu o sindicalista.

Além das perseguições e represálias contra os médicos grevistas, denunciadas pelo sindicato, o Governo anunciou o corte dos salários dos profissionais que aderiram à greve.

Notícias Relacionadas

Fontes