Estados Unidos: Congresso certifica vitória eleitoral de Biden

7 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Congresso dos Estados Unidos (EU) certificou a vitória do democrata Joe Biden na eleição presidencial de novembro passado, cumprindo seu papel constitucional. A sessão no congresso para a certificação foi retomada ontem à noite, após o Capitólio ter sido evacuado à tarde devido a invasão de partidários de Trump que tentavam impedir o trabalho dos parlamentares.

O vice-presidente Mike Pence, que presidia a sessão ontem, certificou hoje de madrugada o resultado oficial do Colégio Eleitoral, de 306 votos para Biden e 232 para Trump.

Assim que o Congresso certificou a vitória de Biden, Trump, que desde antes da eleição falava em fraude, prometeu uma transição ordenada de poder em 20 de janeiro, “embora eu discorde totalmente do resultado da eleição”. Ele usou a conta de seu assessor de imprensa, Dan Scavino, para se comunicar, já que ontem teve as contas em todas as redes sociais bloqueadas por incitar a invasão ao Capitólio. “Eu sempre disse que continuaríamos nossa luta para garantir que apenas os votos legais fossem contados. Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para Tornar a América Grande Novamente!”, completou.

A invasão levou a quatro vítimas fatais: uma mulher que levou um tiro dentro do Capitólio e outras três pessoas que morreram em incidentes nos arredores.

Volta aos trabalhos no Capitólio

Após a invasão, as forças policiais locais, estaduais e federais trabalharam por diversas horas para expulsar os invasores, mas a sessão de certificação dos votos do Colégio Eleitoral pode, finalmente, ser retomada às 20 horas (no horário local).

A democrata aliada de Joe Biden, presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, começou a sessão dizendo: "hoje, um ataque vergonhoso foi feito à nossa democracia. Ele foi ungido no mais alto nível de governo. No entanto, isso não pode nos impedir de nossa responsabilidade de validar a eleição de Joe Biden”.

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, disse que a "insurreição fracassada" enfatizou o dever dos legisladores de terminar a certificação dos votos.

Pence, vice de Trump, que por isto preside o Congresso, disse: "você não ganhou. A violência nunca vence", antes de liderar o recomeço da contagem dos votos dos colegiados.

Ruptura entre os republicanos

Vários senadores republicanos que planejavam se opor à certificação do Congresso ontem, com base nas fraudes alegadas por Trump, após a invasão mudaram de ideia, entre eles Steve Daines de Montana, Mike Braun de Indiana e Kelly Loeffler da Geórgia.

O senador republicano Ted Cruz e o deputado Paul Gosar, no entando, avançaram com sua objeção aos resultados no estado do Arizona, uma medida que foi apoiada pela maioria dos republicanos na Câmara, mas que depois na votação teve uma derrota retumbante. O mesmo aconteceu com uma objeção aos resultados da Pensilvânia apresentada pelo senador republicano Josh Hawley e pelo congressista Scott Perry.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia: