Espanha aplica goleada na Ucrânia

14 de junho de 2006

Escalação inicial. Em vermelho: Espanha. Amarelo: Ucrânia.
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A seleção da Espanha passou fácil pela seleção da Ucrânia no jogo que ocorreu hoje às 13 horas UTC no Zentralstadion, em Leipzig. A "fúria", que antes da partida estava meio desacreditada entre os seus torcedores, desta feita fez jus a seu apelido e goleou por 4 a 0 os ucranianos.

O jogo

A seleção da Ucrânia mostrou-se "perdida" em campo durante a maior parte do jogo e praticamente não ofereceu resistência para que os espanhóis, mais organizados e com muita vontade atacassem seu adversário.

Logo aos 13 minutos do primeiro tempo, numa cobrança de escanteio, o espanhol Xabi Alonso desviou de cabeça para marcar o primeiro gol na Copa para a Espanha. Apenas 4 minutos depois, numa cobrança de falta, Villa aumentou o placar para 2 a 0. Os espanhóis criaram ainda outras jogadas de perigo, mas o primeiro tempo terminou com esse resultado.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, o atacante Fernando Torres avançou em direção ao gol tendo em seu encalço o ucraniano Vashchuk. Este começou a segurar o calção do espanhol ainda fora da grande área. Torres mesmo assim avançou, porém durante sua disputa com o ucraniano perdeu o equilíbrio e caiu. O árbitro suíço Massimo Busacca marcou pênalti e expulsou Vashchuk. A cobrança do pênalti foi feita por Villa. Este marcou o seu segundo gol e terceiro na partida para os espanhóis.

A Espanha contou ainda com uma boa participação do jogador Marcos Senna, brasileiro naturalizado espanhol. Senna chegou a marcar o que seria o quarto gol espanhol, mas o árbitro anulou por causa de uma falta marcada antes, em cima de um jogador ucraniano que disputara uma bola no alto com um espanhol.

Depois do terceiro gol, o técnico da Espanha Luis Aragonés começou a fazer substituições, provavelmente para poupar jogadores e experimentar o time. Entraram Fabregas no lugar de Luis García e Raul no lugar de Villa. Raul fez um par de boas jogadas, mas não empolgou o suficiente para que se possa dizer que saiu de sua má fase, que justifica o facto de ter iniciado a partida no banco de reservas.

Os ucranianos conseguiram criar duas ou três jogadas de perigo contra a Espanha, todavia quem mandava mesmo no jogo era a Espanha, mesmo tendo diminuído um pouco o ritmo depois do terceiro gol. A linha de defesa ucraniana mostrou-se muito frágil e o goleiro da Ucrânia, Shovkovsky, teve bastante trabalho durante boa parte do jogo.

Por volta dos 35 minutos o espanhóis resolveram fechar com chave de ouro a sua estréia na Copa do Mundo. Numa bela jogada que combinou técnica, raça e conjunto, Fernando Torres recebeu para finalizar com precisão e marcar o quarto gol para a Espanha. Final de jogo: 4 Espanha X 0 Ucrânia.