Enterro do Arcebispo de Malanje causa celeuma

18 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O enterro sem homenagens e o atraso na divulgação das causas da morte do Arcebispo de Malanje, Dom Benedito Roberto, está a causar profundo desgosto e inquietção entre religiosos e familiares.

O pastor faleceu no dia 8 aos 74 anos de idade. O atraso na confirmação das causas da morte criou algum celeuma no seio de familiares, cristãos e da população de Malanje.

“Sentimo-nos consternados por sabermos que não vimos o corpo, nem a caixa do falecido porque sendo a família esperaríamos que a direção nos convocasse e pedir onde seria enterrado”, lamentou Bernardo Mendes, sobrinho do Arcebispo.

Ânsia Domingos próxima da família também manifestou tristeza por “saber que o nosso bispo foi enterrado daquela forma triste, abandonado lá no Quissol meu Deus, porquê?”.

“Uma pessoa que serviu a Deus, guiou o povo de Deus, buscou os oprimidos, consolou os aflitos, deu casa aos peregrinos, vestiu os nus, visitou os presos”, recordou.

O coordenador da subcomissão técnica de saúde de prevenção e combate da COVID-19, Avantino Sebastião, confirmou esta terça-feira, 17, que o arcebispo foi vitimado pela Covid-19, a segunda vítima da pandemia em Malanje.

Sebastião fez notar que o arcebispo era partcularmente vulnerável por ter outros problemas de saúde. “Tinha hipertensão, tinha diabetes e tinha um terceiro factor de risco que era a idade”, explicou.

O Governo Provincial de Malanje num comunicado de imprensa esclareceu “que Dom Benedito Roberto teve um enterro condigno obedecendo aos protocolos estabelecidos pela OMS e em consonância com o Decreto Presidencial sobre a situação de calamidade pública em vigor no país”.​

Basílica vai ser erguida

A Igreja Católica vai erguer uma Basílica no bairro Zela em homenagem ao Arcebispo de Malanje, Dom Benedito Roberto, enterrado naquele local, vitima da Covid-19 a 8 deste mês.

O administrador da Arquidiocese, Padre Adão António, que dirige agora a igreja, anunciou a posição segunda-feira, 16, na concelebração da missa do sétimo dia na Sé Catedral dedicada ao finado prelado.

“Mas quem sabe e fica como profecia, Dom Benedito fará milagre como Jesus, a cruz que era escândalo hoje é símbolo de salvação e Zela que hoje é o lugar da vergonha sairá a basílica que terá o nome de Dom Benedito Roberto”, disse.

Fonte