Em dia de protestos, oposição venezuelana convoca greve geral

Agência Brasil

27 de outubro de 2016

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Milhares de pessoas foram às ruas em várias cidades da Venezuela ontem (quarta-feira, 26) para exigir que seja feito um referendo revogatório contra o presidente do país, Nicolás Maduro. Os protestos, que são chamados de "Toma de Venezuela", foram organizados pela oposição depois que o processo de coleta das assinaturas para a convocação da consulta contra o político foi suspensa pelo Conselho Nacional Eleitoral do país (CNE).

Além das manifestações, que reuniram em Caracas milhares de pessoas em frente ao Palácio Miraflores, sede do governo venezuelano, o secretário executivo da coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD), Jesus Torrealba, convocou uma greve geral no país para esta sexta-feira (28) e pediu que os venezuelanos "fiquem em casa" na data.

Se mesmo com a greve, Maduro não quiser "retornar à ordem constitucional", ou seja, revogar a decisão de suspender o referendo, o governador do estado de Miranda, Henrique Capriles, disse que será marcada uma marcha até o Palácio de Miraflores no dia 3 de novembro. Os protestos de ontem ocorreram há apenas um dia de decisão da Assembleia Nacional venezuelana de abrir processo "político e legal" contra Maduro.

Fonte