EUA pedem que potências estrangeiras parem de interferir na Líbia

4 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os Estados Unidos estão profundamente preocupados com o crescente conflito na Líbia e se opõem fortemente ao envolvimento militar estrangeiro, incluindo o uso de mercenários e empresas militares privadas. Isto é afirmado em uma declaração do conselheiro de segurança nacional dos EUA, Robert O'Brien.

"Os esforços das potências estrangeiras para explorar o conflito — por exemplo, estabelecendo uma presença militar permanente ou estabelecendo controle sobre os recursos pertencentes ao povo líbio — representam uma séria ameaça à estabilidade regional e ao comércio global", disse O'Brien, acrescentando que isso também prejudica os interesses do coletivo, a segurança dos Estados Unidos e de nossos aliados e parceiros na região do Mediterrâneo.

"Nas últimas semanas, o presidente Donald Trump conversou com vários líderes mundiais sobre a Líbia, e está claro que não há um lado 'vencedor' aqui", disse O'Brien, acrescentando que os líbios só podem vencer se se unirem para "recuperar sua soberania" e restaurar um único país.

Os Estados Unidos estão buscando um envolvimento diplomático com a Líbia e partes interessadas externas no conflito para encontrar uma solução que apóie a soberania da Líbia e proteja os interesses comuns dos Estados Unidos, nossos aliados e parceiros.

Fontes