EUA impuseram sanções à liderança de Hong Kong

7 de agosto de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Os Estados Unidos impuseram sanções na sexta-feira contra o chefe de gabinete de Hong Kong por "suprimir a liberdade na ex-colônia britânica".

Na sexta-feira, os EUA anunciaram a imposição de sanções contra a chefe de Hong Kong, Carrie Lam, e outros líderes da cidade. Esta é a última de uma série de movimentos do governo Trump contra a China em meio a tensões crescentes sobre o coronavírus e disputas comerciais.

O objetivo das sanções é punir Pequim por reprimir as manifestações antigovernamentais em Hong Kong. Hong Kong e Pequim ainda não comentaram as novas sanções.

Desde que o Reino Unido entregou o controle deste território colonial à China em 1997, os cidadãos de Hong Kong têm desfrutado de liberdades civis que não existem na China continental.

No entanto, no início deste ano, a China aprovou uma nova lei de segurança nacional que minou a autonomia de Hong Kong, gerando críticas de ativistas democráticos e de países ocidentais.

“A recente introdução de uma legislação draconiana de segurança nacional não só minou a autonomia de Hong Kong, mas também violou os direitos das pessoas que vivem em Hong Kong”, disse o Departamento do Tesouro em um comunicado.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: