Covid-19: líder supremo do Irã proíbe importação de vacinas dos EUA e Reino Unido

9 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O líder supremo do Irã proibiu o governo de importar vacinas covid-19 dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, rotulando as potências ocidentais de "indignas de confiança", conforme a infecção se espalha no país mais afetado do Oriente Médio, reportou a Reuters

Em um discurso ao vivo na televisão, o aiatolá Ali Khamenei levantou a perspectiva de os dois países ocidentais, adversários de longa data da República Islâmica, possivelmente tentarem espalhar a infecção em outros países.

Ele acrescentou, porém, que o Irã poderia adquirir vacinas “de outros lugares confiáveis”. Ele não deu detalhes, mas China e Rússia são países aliados do Irã.

"A importação de vacinas dos EUA e da Grã-Bretanha para o país está proibida. (...) Elas são totalmente indignas de confiança. Não é improvável que eles queiram contaminar outras nações", disse Khamenei, a autoridade máxima do país.

"Dada a nossa experiência com o fornecimento de sangue contaminado com HIV na França, as vacinas francesas também não são confiáveis”, disse Khamenei, referindo-se ao escândalo de sangue contaminado do país nas décadas de 1980 e 1990.

O Irã começou testes em humanos de sua primeira vacina anti-Covid no mês passado, dizendo que isto ajudaria o país a controlar a pandemia, apesar das sanções dos EUA que afetam a capacidade iraniana de importar vacinas e outros insumos necessários.

Os números recentes da pandemina no Irã

  • Total de contaminados: 1.274.514
  • Total de mortes: 56.018
  • Taxa de Letalidade: 5%
  • Maior registro de novos casos/dia: 14.051 em 27/11/2020

Notícia Relacionada

Fontes

  Esta notícia é uma transcrição parcial ou total da PanARMENIAN.
Este texto pode ser utilizado desde que seja Atribuído corretamente aos autores e ao sítio oficial
.
Veja os termos de uso (copyright) na página da PanARMENIAN
Compartilhe
essa notícia: