Covid-19: Israel registra um caso da variante Ômicron e fecha fronteiras com países africanos

27 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O governo de Israel agiu rápido contra a variante Ômicron da covid-19 e hoje, após uma reunião coordenada pelo primeiro-ministro Naftali Bennett, decidiu que a entrada de estrangeiros vindos dos países africanos, incluindo Maurício, Seychelles e Madagascar - só estão excetuados os países do norte da África - está proibida. O governo classificou estes países como da "lista vermelha".

Durante a reunião também foi decidido que o Comando da Frente Interna localizará todos os passageiros que chegaram de países africanos na semana passada para monitoramento: eles terão que fazer um teste e ficar em isolamento enquanto aguardam o resultado.

Segundo Bennett numa declaração, “na África do Sul, há um grande aumento de casos em uma semana. Na verdade, a cepa assumiu o controle das infecções na África do Sul e contornou a Delta. Essa cepa já voou e já está entrando no país. Há um caso certo verificado e há mais três casos suspeitos que estão sendo investigados. Nossa suposição é que haja mais”.

A OMS classificou ontem a Ômicron, detectada pela primeira vez na África do Sul, como “de preocupação”, uma vez que as evidências sugerem que ela é mais transmissível, o que pode piorar a pandemia de covid-19 em todo mundo.

Notícias Relacionadas

Fontes