Abrir menu principal

Brasileiros são presos na Espanha por fraudes bancárias na internet

Agência Brasil

10 de março de 2008

A Polícia Nacional da Espanha prendeu hoje (10), em Barcelona, cinco brasileiros acusados de integrar uma organização dedicada à falsificação de documentos, ao phishing (falsas mensagens enviadas por correio eletrônico) e ao bloqueio de dinheiro.

Um dos membros do grupo, no Brasil, acessava as contas bancárias online de cidadãos espanhóis e transferia o dinheiro para contas brasileiras abertas com documentação falsa. O dinheiro era utilizado ainda para a compra de equipamentos de informática necessários para a confecção de documentos falsos como carteiras de identidade, passaportes e carteiras de motorista.

Segundo nota divulgada pela polícia espanhola, brasileiros conhecidos apenas como Ricardo, Susan, Renato e Ming distribuíam a “mercadoria” em Barcelona e em províncias próximas à cidade.

O comunicado esclarece que a prisão de membros do grupo foi possível graças a outra operação, realizada pela polícia espanhola em outubro do ano passado, quando vários brasileiros foram detidos por portar documentos de identidade falsos. Um deles é Silvia Fernanda R. K., presa com sete carteiras de identidade falsas e certificados espanhóis também adulterados.

A prática do “phising” consiste em imitar mensagens de correio eletrônico e de sites de empresas conhecidas a fim de induzir as pessoas a revelar números de conta, senhas, números de cartões de crédito e de débito e outros dados confidenciais.

A polícia espanhola destacou que, dadas as conexões da organização com outros membros residentes no Brasil, assim como o envio de parte dos benefícios econômicos ao país, a operação foi comunicada à Interpol “para o total esclarecimento das ações”.

Os brasileiros detidos na Espanha são: Warley V.D.S. (Distrito Federal), Suellen S.S.N.C.B. (Paraná), Paula T.S. (Goiás), Ederson Renato Z.D.O (Paraná) e Jeferson Ricardo Z.D.O.(Paraná). Todos moravam em Barcelona e foram implicados nos delitos de associação ilícita, falsificação de documentos, bloqueio de capitais e usurpação de estado civil.

Entre os equipamentos utilizados pelos brasileiros para a falsificação dos documentos, foram apreendidos oito ordenadores portáteis, duas impressoras com scanner de alta definição, um veículo comprado com documentação falsa, dois televisores de plasma e 49 telefones celulares.


Fontes