Brasil vê seu real ser uma das moedas mais desvalorizadas em 2020

2 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Real desvalorizou mais de 22% em 2020

O real terminou o ano como a 6ª moeda mais desvalorizada no mundo em 2020, segundo a Austin Rating. Seu resultado foi pior que o de moedas de países africanos como a Nigéria, Etiópia e Sudão e o de regimes autoritários como a Turquia, Belarus e Rússia. A moeda brasileira perdeu 22,4% de seu valor frente ao dólar, segundo o estudo.

O bolívar venezuelano liderou o top, com uma desvalorização de 95,7%.

O resultado da moeda brasileira não é surpresa, pois ao longo do ano instituições especializadas e a imprensa já relatavam as sucessivas quedas. Em outubro passado a BBC citou que a Fundação Getúlio Vargas apontava uma desvalorização de 28% entre dezembro de 2019 até aquele mês.

Consequências

Apesar das empresas que trabalham com exportações se beneficiarem, pois conseguem vender seu produto por um preço maior, as empresas importadoras sofrem efeito contrário e precisam pagar mais pelos produtos.

O aumento do dólar se reflete diretamente também no bolso dos brasileiros: com as mercadorias sendo vendidas e compradas por preços maiores, os produtos à venda no mercado nacional, importados ou não, passam, igualmente, a ter um valor maior. Porém, se os preços são dolarizados, os salários não são, o que faz com que, segundo o website especializado InfoMoney, "as pessoas fiquem mais pobres".

Os grandes exemplos recentes no Brasil desta dolarização são o arroz e o óleo de soja. Com a queda na produção em vários países devido a pandemia de Covid-19, o grão passou a valer mais no mercado internacional, o que se refletiu no preço interno. Se em março era possível comprar 28 quilos de arroz com 100 reais (a R$ 3,50 o quilo), atualmente é possível comprar apenas 18 quilos (a R$ 5,50 reais o quilo) - se fosse considerado só o preço do arroz, o real teria desvalorizado ainda mais: 36%.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: