Biden usará a Cúpula da ONU para promover uma visão de mundo multilateral

20 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Em sua primeira aparição como chefe de Estado na Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente dos EUA, Joe Biden, promoverá sua visão de mundo multilateralista e focada na diplomacia, disseram funcionários do governo na segunda-feira.

“É uma semana importante para o presidente Biden e sua liderança no cenário mundial e impulsionando algumas prioridades para a segurança nacional da América e para a paz e prosperidade mais amplas do mundo”, disse um alto funcionário do governo a jornalistas na segunda-feira.

Essa postura está em contraste direto com a doutrina America First de seu predecessor, Donald Trump. O evento anual é uma oportunidade para a assembleia de 193 membros discutir desafios de importância regional e global.

Biden viajou a Nova Iorque na noite de segunda-feira para o encontro pessoal de cerca de 100 chefes de Estado na sede da ONU, onde se encontrará paralelamente com o primeiro-ministro australiano Scott Morrison. Mais tarde na segunda-feira, ele se encontrará em Washington com o primeiro-ministro britânico Boris Johnson.

Na semana passada, as três nações anunciaram um pacto de segurança que forneceria tecnologia americana de submarinos nucleares e experiência naval britânica à Austrália para ajudar o país a conter ameaças na região Indo-Pacífico. Os analistas veem a medida como uma tentativa de conter a crescente influência da China na região.

Conflito com China

Na ONU, Biden também falará sobre sua polêmica decisão de retirar as tropas do Afeganistão, que segundo ele é parte do foco de seu governo no verdadeiro adversário: a China. No domingo, o secretário-geral da ONU, António Guterres, exortou os EUA e a China a evitar o que ele disse que poderia ser uma guerra fria em potencial e implorou aos dois países que corrigissem sua relação “completamente disfuncional”.

Fontes