Benazir Bhutto sai ilesa de atentado no Paquistão

Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

18 de outubro de 2007

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A ex-premiê Benazir Bhutto sai ilesa de atentado no Paquistão, logo após aterrissar no aeroporto Jinnah International Airport. Mais de 120 pessoas morrem com as explosões dos homens-bombas, mais de 150 pessoas feridas,[1] em estado grave, foram levadas aos hospitais. A serviço secreto local (inteligência), identificou pelo menos três grupos jihadistas vinculados à Al Qaeda e ao Taliban. Todos podem estar envolvidos nestes ataques suicidas.[2]

Bhutto é detestava por muitos paquistaneses tradicionalista, que consideram a sua regra de ter trazido ao país demasiado estreita com os Estados Unidos. Bhutto já havia dito aos repórteres que "não estava com medo de atentados", e foi concentrando-se na sua missão, apenas horas antes do ataque.

Bhutto, que estava viajando para o aeroporto para um comício, pore meio de carros blindados, em cima de um caminhão, foi levado de volta ao manto e seus ancestrais casa de Bilawal House pela polícia e pelas forças de segurança. Pelo menos 20 policiais foram mortos no bombardeio.

Fontes indicam pode ter havido várias explosões, com uma pequena explosão precede o principal, em o repórter da CNN, Dan Rivers, descreveu como um "ataque em grande escala". Dois outros homens foram levados em custódia após os atentados, um transportando uma cintura de explosivos e outro com uma pistola.

Fontes

Referências

  1. Benazir Bhutto sai ilesa de atentado no Paquistão [inativa], 21 de outubro de 2021. Página visitada em 19 de outubro de 2007. Arquivada em 31 de dezembro de 2007
  2. http://br.today.reuters.com/news/newsArticle.aspx?type=worldNews&storyID=2007-10-19T005627Z_01_N18205809_RTRIDST_0_MUNDO-PAQUISTAO-ATAQUE-BHUTTO-POL.XML
 
Na Wikipédia há um artigo sobre Benazir Bhutto.