Ativistas nigerianos pressionam Buhari a assinar lei de reforma eleitoral

23 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Presidente Mohammadu Buhari

Uma coalizão de ativistas nigerianos se manifestou na terça-feira na capital Abuja, exigindo que o presidente Muhammadu Buhari assine um projeto de lei que visa melhorar a transparência, a inclusão e o planejamento das eleições nacionais.

Mais de 200 participantes de vários grupos da sociedade civil cantaram enquanto convergiam na fonte da unidade na terça-feira em Abuja.

Os ativistas estão exigindo que o presidente Muhammadu Buhari assine uma lei que promova a liberação antecipada de fundos para eleições, a inclusão de grupos marginalizados na votação e autorize a transmissão eletrônica dos resultados eleitorais.

“Em 2019, uma verdade que não estamos dizendo aos nigerianos é que os recursos foram liberados seis semanas antes das eleições”, disse Paul James, um dos organizadores do protesto. “Então, se essas coisas estão chegando perto das eleições, isso afeta todos que estão trabalhando no processo.”

Ativistas no protesto dizem que o novo projeto de lei tornará as eleições mais organizadas, inclusivas e credíveis se for sancionada.

Existem mais de 30 milhões de nigerianos vivendo com deficiência.

“Eleição após eleição, as pessoas com deficiência precisam superar qualquer desafio que seja votar”, disse Grace Jerry, diretora executiva da Inclusive Friends Association, um grupo que representa cidadãos com deficiência no protesto. “Presidente Buhari, caso você não saiba, as pessoas com deficiência tiveram que rastejar no chão por causa de unidades de votação inacessíveis.”

O gabinete do presidente divulgou um comunicado na segunda-feira negando as alegações de que Buhari estava se arrastando para assinar o projeto de lei.

A porta-voz do presidente, Femi Adesina, disse que o presidente só recebeu o projeto de lei do Senado em 31 de janeiro e tinha até 1º de março para assiná-lo.

Ele também disse que grupos de interesse estão aproveitando “o que consideram um atraso na assinatura do projeto de lei eleitoral pelo presidente para fomentar a desordem civil.”

Durante uma entrevista na terça-feira à televisão Channels, com sede em Lagos, Adesina disse que Buhari assinaria o projeto em breve.

Mas o manifestante James Paul tem dúvidas de que o presidente seguirá adiante.

“O governo não tem sido muito sincero com os nigerianos, eles estão se divertindo com o que achamos que ajudaria a melhorar a transparência e a integridade de nossas eleições”, disse Paul. “Desde 1999, quanto mais dinheiro você injeta nas eleições, menos participação você vê nas eleições.”

Alegações de fraude e corrupção são comuns durante as eleições nigerianas.

Ativistas dizem que o presidente já se recusou a assinar a lei cinco vezes e esperam que ele assine desta vez.

Fontes