Alemanha chega aos 600 mil casos do coronavírus

5 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

De acordo com sites que monitoram o número de casos de contágio pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, como Worldometer e o Roylab Stats, entre final da manhã e início da tarde do dia 5 de novembro, a Alemanha chegou a 600 mil o número de casos do coronavírus (a COVID-19) que surgiu no país asiático China no ano passado. O país europeu registrou 600.011 de diagnósticos da doença COVID-19 contra os 597.359 no dia anterior (4 de novembro), um acréscimo de 2.652 casos, no dia em que ficou marcado pelo acréscimo de 20.228 novos casos (contra os 577.131 casos no dia 3 de novembro).

Com esse número, a Alemanha tornou-se o décimo quinto país do mundo a atingir 600 mil casos, atrás somente dos Estados Unidos com 9.803.740, a Índia com 8.364.086, o Brasil com 5.590.941, a Rússia com 1.712.858, a França com 1.543.321, a Espanha com 1.356.798, a Argentina com 1.205.928, a Colômbia com 1.108.084, o Reino Unido com 1.099.059, o México com 943.630, o Peru com 911.787, a Itália com 790.377, a África do Sul com 730.548 e o Irã com 654.936.

A Alemanha segue bem atrás dos países em número de mortes (que chega a 11.028 no país), atrás somente dos Estados Unidos com 239.853, o Brasil com 161.170, a Índia com 124.354, o México com 93.228, o Reino Unido com 47.742, a Itália com 39.764, a França com 38.674, a Espanha com 38.118, o Irã com 36.985, o Peru com 34.671, a Argentina com 32.520, a Colômbia com 32.013, a Rússia com 1.712.858, a África do Sul com 730.548, a Indonésia com 14.348, o Chile com 14.340, o Equador com 12.704, a Bélgica com 12.331 e o Iraque com 11.175.

Já o número de alemães recuperados do vírus é alto e já chega aos 391.600 pessoas, o décimo terceiro maior do mundo, só perdendo apenas para a Índia (7.711.809), os Estados Unidos (6.294.444), o Brasil (5.064.344), a Rússia (1.279.169), a Argentina (1.017.647), a Colômbia (1.002.202), o Peru (835.694), o México (697.402), a África do Sul (660.185), o Irã (505.287), o Chile (492.149) e o Iraque (420.206).

A maioria dos casos e as mortes entre os alemães estão no sul (nos estados de Baviera e Baden-Württemberg) e no oeste (Renânia do Norte-Vestfália), enquanto no norte e nordeste tem menos casos e mortes. No entanto, diante os impactos econômicos e sociais, o governo alemão decidiu flexibilizar as restrições no verão europeu em julho, mas novos surtos estão surgindo em outros lugares diante a chegada do inverno europeu em outubro. No dia 31 de outubro, o país teve o maior balanço de casos diários desde 28 de março (com 6294), ao atingir o recorde de 19.059 casos, o que leva temores da elevação nos números de mortes em novembro, já que em 8 de abril, o país teve 333 mortes.

Em todo o mundo, os casos de coronavírus chegam a 48.593.790, sendo 34.795.408 recuperados e as mortes somam 1.223.294.

Fontes

 
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador.
Compartilhe
essa notícia: