Talibã alega ter matado 9 combatentes do ISIS-K

22 de outubro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Talibã disse no sábado que suas forças especiais mataram nove agentes do Estado Islâmico e capturaram outros dois em ataques noturnos na capital, Cabul, e em outros lugares do Afeganistão.

Zabihullah Mujahid, porta-voz do governo talibã, disse que as informações de inteligência levaram as forças de segurança a um "importante esconderijo do Daesh" em Cabul na sexta-feira. Ele usou um nome local para o autoproclamado afiliado afegão do Estado Islâmico, conhecido como Estado Islâmico Khorasan, ou ISIS-K.

Mujahid disse que os tiroteios que se seguiram mataram seis militantes e um membro da força de segurança do Talibã. O ataque ocorreu logo depois que as forças de segurança capturaram dois membros importantes do ISIS-K em uma operação separada em outra parte de Cabul, observou ele sem dar detalhes.

Separadamente, o Ministério do Interior afegão, liderado pelo Talibã, disse no sábado que "com base em inteligência sólida" as forças do governo atacaram um esconderijo do ISIS-K na província de Takhar, nordeste do país, que faz fronteira com o Tajiquistão. O ataque no distrito de Dasht Qala matou três membros do Daesh, incluindo um comandante “importante”, disse o comunicado.

Mujahid afirmou que todos os seis homens do Daesh mortos em Cabul estavam ligados a recentes atentados suicidas na cidade, um em um centro educacional e outro em uma mesquita.

“Eles planejaram ataques à Mesquita Wazir Akbar Khan de Cabul, ao centro de ensino Kaaj e outros alvos civis”, disse Mujahid.

A explosão na seção feminina do centro de ensino lotado em 30 de setembro matou 53 pessoas, a maioria meninas e mulheres jovens, e feriu 110 pessoas. Isso aconteceu poucos dias depois que uma bomba explodiu na mesquita principal no bairro fortemente vigiado de Wazir Akbar Khan, que abriga importantes escritórios do governo e missões diplomáticas estrangeiras.

Nenhum grupo até o momento reivindicou a responsabilidade por nenhum dos ataques.

Fontes