Sul das Américas terá final de ano tórrido

29 de dezembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Uma vasta região do sul das Américas - sul do Brasil (Rio Grande do Sul e oeste de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul), centro-norte da Argentina, centro-leste do Paraguai e oeste do Uruguai - terá dias tórridos entre 29 de dezembro e 01 de janeiro, com previsão de temperaturas que podem passar dos 40ºC. A situação será ainda pior pela falta de chuvas, já que a região está sob influência do fenômeno climático La Niña, marcado por precipitações abaixo da média. Será, conforme a Metsul, um "fim de ano de derreter" e, conforme o portal Meteored Argentina, um "calor opressor".

O SNM da Argentina emitiu um alerta para temperaturas extremas, chamando atenção para o fato do calor poder causar problemas de saúde. Já o portal Climatempo alertou para a baixa umidade do ar, que também pode causar problemas de saúde, principalmente respiratórios. Segundo o portal, no Rio Grande do Sul, "a umidade tende a ficar até abaixo dos 20% em algumas localidades e os cuidados com a hidratação devem ser redobrados nesta semana".

Tempestades

Como é comum durante ondas de calor, temporais isolados não estão descartados, com chuvaradas, ventos e descargas elétricas.

Estiagem

No Rio Grande do Sul, diversas cidades já sofrem com a estiagem, que já afeta as culturas de soja, milho, arroz e feijão. Segundo a Metsul, chuvas podem ocorrer a partir de 1º de janeiro, mas serão isoladas e de pouca intensidade.

No Paraguai a situação não será diferente, com o Meteorología e Hidrología de la Dirección Nacional de Aeronáutica Civil (Dinac) prevendo que não haverá chuvas importantes no início de 2022.

Incêndios

Com o calor e a seca, toda esta região das Américas está sob alerta para incêndios florestais, que podem se alastrar e atingir casas e outras estruturas, como redes de energia elétrica. Na Argentina, inclusive, uma vasta área da Patagônia, nos distritos de Río Negro, Chubut e Neuquén (sul), Misiones (norte) e Entre Ríos, já luta há semanas com de incêndios que destruíram milhares de hectares de mata nativa, incluindo espécies de araucárias.

Frente fria

Segundo o portal Meteored, uma débil e lenta frente fria pode se formar e avançar sobre parte da região entre os dias 30 de dezembro e 1º de janeiro, amenizando um pouco do calor.

Notícias Relacionadas

Fontes