Sudão busca ouro para impulsionar economia e nega contrabando russo

11 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Os governantes militares do Sudão anunciaram esta semana um comitê de emergência para tratar do colapso da economia do país e apontaram a mineração de ouro como um possível impulso. O embaixador do Sudão na Rússia negou relatos de que Moscou está contrabandeando ouro do Sudão em preparação para sanções por sua invasão da Ucrânia. Mas analistas sudaneses dizem que o contrabando de ouro é desenfreado, inclusive para a Rússia.

A mídia estatal disse na quinta-feira que o segundo em comando do Conselho Soberano no poder, o general Mohamed Hamdan Dagalo, conhecido como Hemeti, se reuniu com garimpeiros que prometeram fornecer ouro ao banco central.

O relatório veio depois que Hemeti deu uma rara declaração à imprensa nesta semana sobre os esforços para evitar o colapso econômico do país.

As exportações do Sudão caíram 85% em janeiro e os preços de tudo estão subindo rapidamente – uma das principais faíscas da revolta de 2019 que levou os militares a derrubar o ex-presidente Omar al-Bashir.

Em declarações à mídia na segunda-feira, Hemeti anunciou um comitê de emergência econômica para resolver os problemas. Entre outras medidas, ele apontou a mineração de ouro do Sudão, que chega a pelo menos 50 toneladas por ano, como uma possível solução.

Hemeti diz que um dos recursos mais importantes que podem ajudar a impulsionar a economia do Sudão é o ouro. Ele diz que as forças de segurança prenderam muitas pessoas contrabandeando ouro, 40 compradores ao todo. Ele diz que os compradores não são o problema e pergunta: de quem eles estão comprando esse ouro? Essa é a questão, diz ele, acrescentando: “Vamos descobrir.”

Hemeti não deu detalhes sobre as nacionalidades dos presos, o momento ou quem era suspeito de comprar quanto ouro contrabandeado.

Seus comentários vieram poucos dias depois de uma reportagem do jornal britânico Telegraph dizer que a Rússia se preparou para sanções por sua invasão na Ucrânia comprando ouro sudanês contrabandeado.

Hemeti não comentou a alegação em seus comentários.

Fontes