Produtores do RS pedem Decreto de Situação de Emergência devido à estiagem

25 de abril de 2020

Foto meramente ilustrativa

Produtores gaúchos participaram de uma nova videoconferência com representantes do Governo do Estado esta semana pedindo novamente que o governador Eduardo Leite emita um Decreto Estadual de Situação de Emergência devido à estiagem que atinge o Rio Grande do Sul desde dezembro passado. A iniciativa partiu, principalmente, das Câmaras do Trigo e da Soja, culturas com a maior perda na produção devido à falta de chuvas. A soja, por exemplo, registrava, no início de abril, segundo Relatório Oficial 13, perdas que variavam de 26 a 56% nas regiões onde é mais cultivada. "A estiagem fez com que as lavouras acelerem o ciclo, resultando em grãos com menor tamanho e peso, além de grãos com aspecto esverdeado", diz o documento.

Outras culturas afetadas são as do feijão, da mandioca/aipim e da citricultura (laranja e bergamota). Sobre o feijão, o Relatório de Estiagem 15 especificou que "a cultura foi bastante afetada pela prolongada estiagem, sendo que apenas parte das lavouras se destinou exclusivamente para fins comerciais. As perdas médias foram de 60% da produtividade".

Os produtores também pediram uma maior flexibilização para o pagamento de empréstimos bancários liberados para o custeio das culturas.

Estado deve receber chuva no final do mês

Segundo o Relatório de Estiagem 15, o RS deve receber chuvas a partir do dia 27 de abril. "Os totais previstos permanecerão inferiores a 10 mm nas faixas Norte e Nordeste. Nas demais regiões, os valores deverão variar entre 20 e 45 mm. Na Zona Sul, são esperados volumes entre 60 e 70 mm em algumas localidades", especificou a Secretaria da Agricultura do RS. O relatório também enfatizou que, durante o mês, "na grande maioria das áreas do Estado novamente não houve registro de volumes significativos".

Notícia relacionada

Fontes

Compartilhe