Petro avisa Maduro que quer "abrir as fronteiras" entre Colômbia e Venezuela

23 de junho de 2022

link=mailto:?subject=Petro%20avisa%20Maduro%20que%20quer%20"abrir%20as%20fronteiras"%20entre%20Colômbia%20e%20Venezuela%20–%20Wikinotícias&body=Petro%20avisa%20Maduro%20que%20quer%20"abrir%20as%20fronteiras"%20entre%20Colômbia%20e%20Venezuela:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/Petro_avisa_Maduro_que_quer_%22abrir_as_fronteiras%22_entre_Col%C3%B4mbia_e_Venezuela%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O presidente eleito da Colômbia, Gustavo Petro, informou em sua conta no Twitter que entrou em contato com seu colega Nicolás Maduro, da Venezuela, para “abrir as fronteiras.”

Mais tarde, Petro referiu-se ao telefonema com o seu homólogo venezuelano, em entrevista ao Caracol Noticias, na qual explicou que a reabertura da fronteira “é um processo longo.”

“A normalização das relações não acontece da noite para o dia, é um processo que deve partir do bem-estar das pessoas, começando pelas pessoas da fronteira… é fundamental, que os Estados possam garantir isso”, esclareceu o futuro chefe de Estado colombiano.

Em segundo lugar, disse que a Venezuela pode ajudar na “pacificação da Colômbia” e que seu país pode ajudar para que “a sociedade venezuelana não seja violada”.

Por fim, salientou que há questões comuns como “reduzir o consumo agrícola” e enfatizou que quaisquer que sejam os conflitos, “sempre tem que haver uma ponte de diálogo.”

Minutos antes, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, referiu-se à conversa com o presidente eleito, por meio de seu Twitter: “Em nome do povo venezuelano, parabenizo você por sua vitória. Discutimos a vontade de restaurar a normalidade nas fronteiras, várias questões sobre a paz e o futuro próspero de ambos os povos.”

A fronteira entre Colômbia e Venezuela mede 2.119 quilômetros e nela vivem 12 milhões de pessoas, 6 milhões na Colômbia e 6 milhões na Venezuela. A relação de suas economias muitas vezes os obriga a ir e voltar entre os dois países.

Fontes