28 de novembro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As doenças podem representar uma ameaça à vida humana da mesma maneira que os bombardeamentos em Gaza, afirmou a Organização Mundial de Saúde.

A sobrelotação falta de acesso a água potável tornaram Gaza um terreno fértil para doenças infecciosas, especialmente diarreia em crianças, que atingiu quase 100 vezes o seu nível normal, segundo a OMS.

“Eventualmente veremos mais pessoas morrendo de doenças do que as que estamos vendo devido aos bombardeios, se não formos capazes de restabelecer este sistema de saúde”, disse a porta-voz da OMS, Margaret Harris, em uma coletiva de imprensa da ONU terça-feira em Genebra.

A OMS afirma que a escassez de alimentos aumentou o risco de doenças, uma vez que as pessoas estão ficando fracas devido à fome, tornando-as mais propensas a doenças.

As pessoas em Gaza também enfrentam dificuldades em obter tratamento, uma vez que o pessoal médico é limitado e a falta de acesso a medicamentos e vacinas.

As interrupções na coleta de lixo em abrigos lotados aumentaram a preocupação com o risco de doenças.

Israel declarou guerra ao grupo Hamas após o ataque de 7 de outubro ao sul de Israel, que matou cerca de 1.200 pessoas. A campanha de Israel contra os militantes do Hamas matou mais de 14 mil pessoas, segundo autoridades de saúde de Gaza.

Fontes editar