Nove europeus são presos por 'participar de distúrbios iranianos'

1 de outubro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As autoridades iranianas prenderam nove cidadãos europeus no dia 30, enquanto os protestos continuam no Irã, desencadeados pela morte de uma mulher de 20 anos.

O Irã afirmou que um 'inimigo estrangeiro' está por trás dos recentes protestos.

O serviço de inteligência do Irã disse em comunicado que os nove europeus detidos estavam "conspirando durante ou por trás do tumulto".

Os europeus detidos incluem cidadãos alemães, poloneses, italianos, franceses, holandeses e suecos, e o conflito entre o Irã e o Ocidente provavelmente aumentará. Protestos de simpatia têm ocorrido recentemente na Alemanha, França, Estados Unidos e Romênia.

No Irã, uma mulher de 20 anos chamada Mahsa Amini foi presa pelas autoridades por não usar o hijab corretamente.

Segundo as autoridades iranianas, mais de 40 pessoas foram mortas, 500 ficaram feridas e mais de 1.000 foram presas nos protestos.

Mas o Iran Human Rights (IHR), um grupo de direitos humanos com sede na Noruega, disse que o número de mortos subiu para pelo menos 83.

Enquanto isso, em Zahedan, na província de Sistan-Ba-Baluquistão, no sudeste do Irã, no dia 30, militantes atacaram uma delegacia de polícia.

Pelo menos 19 pessoas morreram e 15 ficaram feridas no ataque até agora.

As autoridades iranianas disseram que os homens que atacaram a delegacia eram "separatistas", mas não especificaram quem eram.

Fontes