Nesta segunda-feira estará visível a estrela de belém depois de 800 anos

21 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Na noite desta segunda-feira (21), terá o alinhamento de Júpiter e Saturno, chamado de "Estrela de Belém" ou "Natal" devido à proximidade da data festiva cristã, sendo o nascimento de Jesus Cristo, celebrada em 25 de dezembro. Nas próximas duas semanas, uma conjunção planetária particularmente ativa pode ser facilmente vista no céu noturno.

Os últimos registros desse fenômeno podem ser rastreados até 1623 e 1226. Portanto, os astrônomos acreditam que esse fenômeno seja raro, porque cada planeta tem um tempo diferente para orbitar o sol, que é 12 anos para Júpiter e 12 anos para Saturno. São 30 anos. . Entre essas duas datas, o século XIII é o mais semelhante à conjunção atual. Portanto, quase nada disso foi visto 800 anos atrás. Nesse caso, esse fenômeno pode ser visto ao anoitecer em quase toda a Terra.

O alinhamento mais próximo entre os séculos difere apenas em um décimo de grau e dura vários dias. De acordo com a NASA, no dia 21, eles aparecerão tão próximos que podem facilmente cobrir dois planetas no céu com um braço do dedo indicador.

Da perspectiva da Terra, os planetas gigantes parecem muito próximos, mas ainda permanecerão a centenas de milhões de quilômetros de distância no espaço.

Por que os planetas se encontraram?

Em 1610, o astrônomo italiano Galileo Galilei apontou seu telescópio para o céu noturno e descobriu as quatro luas de Júpiter-Io, Europa, Ganimedes e Calisto. No mesmo ano, Galileu também descobriu uma estranha elipse em torno de Saturno, e observações posteriores confirmaram que era seu anel. Essas descobertas mudaram a maneira como as pessoas entendem a extensão de nosso sistema solar.

Treze anos depois, em 1623, os dois maiores planetas do sistema solar, Júpiter e Saturno, se encontraram no céu. Júpiter alcança e ultrapassa Saturno. Este é um evento astronômico denominado "Grande Confluência".

Fontes