Morre Lily Safra, dona de uma das casas mais caras do mundo

10 de julho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Villa Leopolda

Morreu ontem em Genebra, Suíça, aos 87 anos de idade, Lily Safra, nascida Lily Watkins em Porto Alegre em 30 de dezembro de 1934 como filha de Wolf White Watkins, um engenheiro ferroviário de ascendência anglo-judaica, originário da Checoslováquia que se mudou para a América do Sul, e Annita Noudelman de Castro, uma uruguaia de origem russo-judaica.

De família modesta, ela adquiriu, através de quatro casamentos, uma fortuna de 5 bilhões, que a fez ser em 2005 a 620ª pessoa mais rica do mundo, segundo a revista Forbes. Entre seus bens estavam Villa Leopolda, uma mansão situada na comuna francesa de Villefranche-sur-Mer, na Costa Azul (Riviera Francesa), considerada há alguns anos a casa mais cara do mundo.

Quatro casamentos

Aos dezessete anos Lily casou-se com Mario Cohen, um milionário argentino fabricante de meias de náilon, com quem teve três filhos. Nos anos 1960, conheceu Alfredo Monteverde, dono da rede de eletrodomésticos Ponto Frio, com quem se mudou para o Rio de Janeiro antes mesmo de se divorciar e com quem teve outros dois filhos. Ele cometeu suicídio em 1969 após uma crise depressiva.

Em 1972 Lily casou-se com Samuel Bendahan, um empresário inglês, mas o casamento foi posteriormente declarado nulo.

Seu derradeiro marido foi banqueiro Edmond Safra, com quem se casou em 1976. O casamento durou 23 anos, período no qual ela ampliou sua fortuna, investindo em obras de arte e imóveis luxuosos em Nova York, Londres, Paris, Monte Carlo, Genebra e na Riviera Francesa. Edmond morreu em 1999 num incêndio criminoso provocado por seu enfermeiro, que depois explicou que iniciou o sinistro para realizar um resgate heroico e assim ser recompensado pelos Safra.

Referências

Fontes