Malária: Amapá registra redução de 53% no número de casos no primeiro trimestre de 2021

16 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Um relatório da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) do Amapá aponta redução de 53,17% no número de casos de malária no primeiro trimestre (janeiro a março) de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado. Em números absolutos foram 636 casos a menos de 2020 para 2021. A redução tem sido significativa desde 2019 nos casos da doença.

De janeiro a março foram registrados 560 casos em 2021, seguindo em queda em relação ao ano de 2020 que registrou 1.196 casos e 2019 que apontou 2.976 confirmações.

Entre os municípios, 15 apresentaram redução. Somente Cutias do Araguari passou de nenhum caso em 2020 para um caso registrado no primeiro trimestre de 2021. Em Macapá foram registrados 204 casos em 2020 e 90 casos em 2021, Santana passou de 173 para 31 e Mazagão de 109 para 40 registros.

Os sintomas mais comuns da malária são dor de cabeça, dor no corpo, calafrios, febres, náuseas e muito suor. Caso haja suspeita da doença basta procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para fazer exame que é simples e gratuito. Para prevenção do mosquito é importante manter o uso de repelentes, uso de mosquiteiro impregnado com inseticidas, uso de roupas claras e compridas que protejam braços e pernas e colocar telas nas portas e janelas.

"Esses resultados vêm sendo colhidos por conta de ações implementadas desde 2018. A criação da Superintendência de Vigilância em Saúde também foi determinante para os resultados positivos no combate à malária. Estratégias como a capacitação de técnicos nos municípios e instalação de mosquiteiros impregnados auxiliaram nessa redução”, afirmou o chefe da Unidade de Doenças Transmissíveis por Vetores, Jonas Ferreira.

Malária falciparum

Na forma mais grave da doença, falciparum, também houve redução de 37,9%, passando de 108 para 67 casos. O município que mais registrou casos foi Porto Grande com 50 confirmações. Em Ferreira e Pedra Branca houve quatro casos cada. Macapá, Mazagão, Oiapoque, Santana e Tartarugalzinho foram os municípios que apresentaram dois casos cada e Serra do Navio apresentou um caso.

Estratégia

A SVS executa constantemente ações de capacitação com os municípios, descentralizando o combate da doença. Além disso, aplica a estratégia preconizada pelo Ministério da Saúde, de utilização de mosquiteiros impregnados com inseticida para o combate do vetor. Desde 2020 já foram entregues mais de 20 mil mosquiteiros de cama e 6.700 de rede. Este ano a SVS disponibilizará mais de 30 mil unidades do produto aos municípios.

Fonte