Lula fala durante a COP-27 em seu primeiro compromisso no exterior após a eleição

16 de novembro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Luiz Inácio Lula da Silva, eleito presidente no dia 30 de outubro de 2022, falou hoje durante a COP-27. Sua viagem ao Egito, a convite de seu homônimo egípcio e do governador do Amapá, Waldez Góes, que lidera a delegação do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, foi seu primeiro compromisso no exterior após a eleição e considerado um marco para a volta do país ao cenário da diplomacia internacional.

O senador Randolfe Rodrigues, um dos líderes da CPI da Covid, apoiador de Lula e que também está no Egito, escreveu em seu Twitter que "Respeito é que fala? Foi isso que o Brasil impôs no discurso de Lula na COP27. O Presidente falou que o compromisso financeiro e social para remediar mudanças climáticas tem que ser global. Nossa luta não será isolada. O mundo precisa estar unido contra o negacionismo climático!"

A fala de Lula no evento levou a plateia a entoar "o Brasil voltou", termo que depois se tornou topic trend no Twitter (aqui).

"Lula na COP e Bolsonaro na copa de sua casa"

O ainda presidente Jair Bolsonaro, que não é visto em público - além do dia em que deu uma declaração de dois minutos para agradecer os 58 milhões de votos recebidos - há mais de duas semanas, havia sido convidado para o evento, mas enviou um representante. Bolsonaro nunca foi a nenhuma COP e também barrou o Brasil de receber a conferência em 2019.

O comportamento do mandatário tem gerado comentários e piadas nas redes sociais e hoje o jornalista Guga Noblat usou o Twitter para brincar com a situação. "Lula na COP 27 enquanto Bolsonaro segue escondido na copa da casa dele", escreveu ele.

"A dúvida que domina o país no momento não são os planos que Bolsonaro parece estar tramando enquanto fica trancado no palácio do Alvorada, mas sim o nome do calmante que ele tomou para ficar tão plácido e pacífico depois de 30 anos de agressividade continuada. Já dizem que ele inaugurou o Gabinete do Ócio", escreveu o satírico Sensacionalista no O Globo, numa referência ao Gabinete do Ódio, um grupo formado pelos Bolsonaro e apoiadores próximos que atua no Palácio do Planalto criando estratégias, principalmente fake news, contra opositores.

Referências

Notícias Relacionadas

Fontes