Investigador da ONU alerta para aumento da violência em Mianmar

30 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O investigador da ONU Thomas Andrews está alertando que a junta militar de Mianmar está aumentando sua campanha brutal de violência, recorrendo a massacres e violações generalizadas de direitos humanos para manter seu controle de ferro. O relatório foi submetido ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

O relator especial das Nações Unidas sobre a situação dos direitos humanos em Mianmar, Thomas Andrews, está pedindo ao mundo exterior que aja para responsabilizar os líderes militares de Mianmar.

Ele adverte que a falha em tomar as medidas necessárias causará danos irreparáveis à população e será uma sentença de morte para um número incontável de pessoas. Ele disse que as condições no país pioraram desde a última vez que ele se apresentou ao conselho, há três meses.

Andrews disse que os generais no poder aceleraram sua campanha sangrenta contra oponentes políticos, matando mais de 2.000 civis e prendendo arbitrariamente mais de 11.000. Ele disse que as forças da junta bombardearam implacavelmente vilarejos com caças, matando homens, mulheres e crianças.

“Recebo regularmente relatos de novos massacres de civis desarmados. As vítimas geralmente incluem crianças e pessoas fisicamente incapazes de fugir do avanço de soldados e milícias apoiadas pelos militares. Na minha opinião, esses repetidos ataques a civis – assim como outras graves violações de direitos humanos – constituem crimes de guerra e crimes contra a humanidade”, disse ele.

Andrews disse que os filhos de Mianmar estão entre as vítimas mais frequentes desta crise. Ele relata que mais de um quarto de milhão de crianças foram deslocadas por ataques da junta, centenas foram mortas ou mutiladas e mais de 1.400 detidas arbitrariamente.

Desde o golpe militar do ano passado, ele disse que 142 crianças foram torturadas. Ele disse que eles foram espancados, cortados, esfaqueados e submetidos a outros abusos físicos e mentais horríveis. Ele disse que eles foram submetidos a execuções simuladas e agredidos sexualmente.

“Pelo menos 61 crianças estão atualmente sendo mantidas como reféns pela junta para forçar familiares adultos que apoiam a oposição a se entregarem… relator especial.

Andrews alerta que as condições em Mianmar continuarão se deteriorando se outros países continuarem a ignorar a situação. Ele pede ação internacional.

Ele disse que o Conselho de Segurança deve considerar uma resolução sobre Mianmar. Ele insta os membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático a impor sanções econômicas e diplomáticas aos líderes militares de Mianmar.

Mianmar não respondeu ao relatório porque as Nações Unidas não reconhecem a legitimidade do atual governo.

Fontes