Grupo armado ataca quartel e invade duas aldeias em Cabo Delgado

4 de julho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Agência VOA

Um grupo armado ligado ao Estado Islâmico atacou no sábado (2), um quartel das Forças de Defesa e Segurança (FDS) e matou um militar em Mandimba, no distrito de Nangade, no mesmo dia que atacou duas aldeias de Macomia e Meluco, distritos do centro de Cabo Delgado, disseram à VOA nesta segunda-feira (4), testemunhas e fontes militares.

O grupo invadiu o quartel da força moçambicana no início da noite de sábado, em Mandimba, norte de Nangade, perto da fronteira com a Tanzânia, tendo, depois de um forte confronto, conseguido capturar parte do arsenal.

“O inimigo entrou e atacou a posição, feriram uns, morreram outros e também há desaparecidos”, que começaram a reaparecer domingo e esta segunda-feira, na sede do distrito de Nangade, disse à VOA uma fonte próxima ao incidente, na condição de anonimato.

A fonte relatou que outra posição próxima da guarda-fronteira tinha sido atacada há alguns meses, sugerindo ser este um avanço estratégico do grupo rebelde, que nos últimos tempos aumentou o seu cordão de ataques terroristas, incluindo nos distritos a sul de Cabo Delgado.

“Muita logística perdeu-se neste ataque”, referiu a fonte, reconhecendo que vários ataques do grupo rebelde têm sido para roubar alimentos, sobretudo, nas aldeias.

Já em Macomia, o grupo invadiu a aldeia Chicomo, no domingo, destruindo parte das palhotas que tinham restado do anterior ataque.

O grupo já tinha invadido a aldeia e matado um líder islâmico recentemente.

No sábado, 2, o grupo igualmente tomou por várias horas a aldeia Iba, no distrito de Meluco, saqueando alguns produtos alimentares, contou outra fonte local.

“As pessoas dormem nas machambas (hortas) e quando eles chegaram queimaram casas e levaram mandioca seca nos celeiros”, contou outro morador.

Confrontos entre as forças conjuntas e os insurgentes se seguiram ao ataque.

Não há relatos de vítimas humanas nos últimos dois ataques.

A Polícia da República de Moçambique em Pemba não respondeu ao pedido de comentário da VOA.

Refira-se que a polícia em Cabo Delgado afirmou, em maio, que os distritos de Macomia e Nangade, eram os últimos dois redutos onde estava a ser combatido o grupo rebelde que atua em Cabo Delgado desde 2017.

Fonte