Governador Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por homofobia e uso da máquina para política

30 de outubro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Em visita ao Maranhão, Bolsonaro (sem partido), que já coleciona declarações preconceituosas, xenófobas e homofóbicas, poderá ser processado pelo próprio governador do estado, em razão de "piadas" de cunho homofóbico contra maranhenses, além de uso da máquina do estado para fazer campanha política.

Em momento de descontração entre a comitiva e apoiadores, com transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente foi convidado a provar o Guaraná Jesus, refrigerante de coloração rosa típico do estado e, entre outras declarações, disse: “agora virei boiola, igual maranhense”. A declaração pode ser ouvida aos dez minutos e trinta segundos da live.

Horas depois, o governador Flávio Dino anunciou em rede social que Bolsonaro será alvo de processo e lamentou a atitude do presidente. “Veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro”. E o mais grave, “usou dinheiro público para propaganda política”.

Em meio às eleições municipais e em plena pandemia, a comitiva presidencial usou a estrutura federal para percorrer os municípios e subiu em palanques com a presença de deputados e correligionários declarados de candidatos em disputa no estado.

Fonte

Compartilhe
essa notícia: