Estudo pode ter descoberto origem de curvatura em esqueleto de 3,6 milhões de anos

4 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Segundo informações da agência de notícias, Europa Press, um estudo coordenado por cientistas da Universidade da Califórnia; Universidade de Nova York e pelo Colégio de Chaffey, nos Estados Unidos, revela um novo olhar sobre o esqueleto mais inteiro já descoberto de um antepassado do ser humano, curiosamente apelidado de Little Foot. Sabe-se que o fóssil do australopiteco de 3,67 milhões de anos foi achado em uma caverna situada em Sterkfontein, na África do Sul, na década de 1990. Desde então, uma curvatura do antebraço do esqueleto havia atraído a atenção dos especialistas, que sugeriram que o problema havia aparecido depois de uma queda de uma árvore na infância.

Fontes

Compartilhe
essa notícia: